Há tempos não comento sobre música aqui no Vermelho.Carne e, por um amigo, tive a idéia de comentar sobre o CD Technomacumba, da cantora Rita Ribeiro, que até há pouco era uma ilustre desconhecida para mim e para o grande público também. Porém, nesse trabalho tão bonito de pesquisa, Rita fez um verdadeira mix com muita propriedade. O CD todo traz canções que têm relação com o candomblé e a umbanda, de maneira delicada em algumas músicas, como Oxum e sua dança maviosa, em outras com a força de Ogun, recheada de guitarras e atabaque forte.
Nascida no Maranhão, Rita Ribeiro começou surge como nome na MPB em 1997, quando lança seu primeiro CD, Rita Ribeiro. Em 1998, já com uma gravadora, lança Pérola aos Povos, CD no qual começa a ser reconhecida por grandes nomes, como Ney Matogrosso, Milton Nascimento, Zeca Baleiro e Chico César, ao lado dos quais vai para o Festival de Jazz de Montreaux. Em 2001, após a indicação ao Grammy na categoria pop latino, grava Comigo e em 2003 começa a germinar o projeto "Technomacumba". Em 2006 é lançado o CD Tecnomacumba, um registro das nossas raízes negras e ameríndias, com rezas, cantigas, pontos e canções do candomblé, da umbanda, dos xangôs e outras manifestações de origem africana que se proliferam no Brasil.E o que axé tem a ver com isso? Axé, na sua verdadeira acepção, é a energia criadora e transformadora que traz benesses para os seres humanas, energia ancestral que circula entre os homens e que se recupera diante dos deuses africanos. Axé é a força necessária para que esses deuses entrem em contato com os humanos. Esse é Axé de verdade. O resto é besteira.Site oficial da cantora: http://www2.uol.com.br/ritaribeiro/
Site do fã-clube oficial: http://www.pravocegostardemim.com/